Arquivo da categoria: Cinema

A Marvel se superou com X-Men: First Class

O review do filme, completo (e cheio de spoilers), está no Matraca Cultural. Por aqui só tenho uma coisa a dizer: foi genial!

Mentira tenho mais uma coisa a dizer. Alguém me dá o James McAvoy de presente? Quão surreal é ter uma queda pelo Professor Xavier?!

Au revoir,

Ju Maffia

Anúncios
Etiquetado , ,

De Bogart a Nicholson – Os detetives de filmes noir

Nesses últimos dias resolvi me enfiar de cabeça nos filmes noir e neo-noir mais conhecidos. Bom na verdade fui escolhendo os filmes que tinham detetives, porque esse é o tipo de noir mais divertido, aquele detetive que fala baixinho, fuma um cigarro atrás do outro e trata mal os policiais. O gênero noir não é só feito de detetives fumantes, ainda existem as femme fatales, os ‘tiras’ e as boas moças. Mas sempre prefiro quando o detetivo é a personagem principal.

E por que resolvi ver todos esses filmes? Acho que vale a pena dividir isso com vocês porque é um evento legal… Resolvi participar do Script Frenzy, evento mundial onde você escreve um script (ou peça ou HQ) de 100 páginas em um mês. E nesse ano vou escrever um noir.

Enfim por isso resolvi compilar (palavra chique hahaha) a lista dos meus filmes favoritos de  noir com detetive. Por favor não estranhem a falta de grandes nomes do gênero, como A Marca da Maldade (Orson Welles), Pacto de Sangue (Billy Wilder), M (Fritz Lang), entre outros…

_____________________

1. À Beira do Abismo (The Big Sleep)

Lauren Bacall e Humphrey Bogart

Ok primeira razão pra correr pra locadora mais próxima e alugar À Beira do Abismo? O casal: Humphrey Bogart e Lauren Bacall. Coloque os dois juntos na tela e não tem como o filme não ser sensacional. Segunda razão? O filme tem um dos roteiros mais interessante e difíceis, de acompanhar. Durante todo o filme você questiona os motivos e decisões das personagens, além de nunca saber quem está no lado de quem. Definitivamente um must see do cinema noir! Além de ser meu noir favorito. À Beira do Abismo foi dirigido por Howard Hawks em 1946.

_____________________

2. O Falcão Maltês (Maltese Falcon)

Bogart (de novo) e Mary Astor

A busca por um artefato histórico que pode, ou não, existir. Esse é motivo que leva Humphrey Bogart a se envolver com Brigid. O que é fantástico no filme? Além do Bogart? A personagem de Mary Astor, uma perfeita representação da Femme Fatale. Sua coadjuvante passa o filme inteiro mentindo, Bogart as vezes finge que acredita, as vezes não. Mas ao todo se mostra forte aos encantos da moça e não cai na lábia dela. O Falcão Maltês foi dirigido por John Huston em 1941.

_____________________

3. Chinatown (Chinatown rsrs)

Jack Nicholson e Faye Dunaway

Chinatown é um neo-noir, estonteante. Abusa na violência e falta de moral (mas do que em outros filmes), ultrapassando os limites aos quais estamos acostumados. Por que ele é um neo-noir e não um noir? Porque foi filmado em 1974 e apesar de trazer temas tratados em filmes noir, é um filme bastante violento e pesado. Nele, Jack Nicholson é um detetive particular que, contra sua vontade, acaba se envolvendo numa investigação sobre a distribuição de agua da cidade de Los Angeles, também se metendo no meio de uma briga familiar que dá em morte e… bom não vou contar o final. Polanski não tem nenhum medo de chocar a plateia e para um filme de ’74, Chinatown, com certeza espanta. O filme foi dirigido por Roman Polanski em 1974.

_____________________

E um extra pra vocês, afinal tudo o que apreciamos na infância levamos pra vida.

Uma Cilada para Roger Rabbit (Who Framed Roger Rabbit?)

 

Bob Hoskins e Roger Rabbit

Noir infantil (mas não tão infantil assim) com uma história muito criativa e atores fabulosos, tantos os reais quanto os desenhos. Roger descobre que sua mulher está o traindo com o Sr. Acme (sim, aquele ACME) e no dia seguinte o pobre homem aparece morto. É claro que Roger leva a culpa pelo assassinato e Judge Doom (Christopher Lloyd) quer destruí-lo por isso. Com a ajuda do detetive Eddie Valliant (Bob Hoskins), Roger descobre um plano maluco que envolve rodovias, assassinatos e a destruição de Toon Town. Ponto muito legal do filme: cartoons famosos aparecem bastante. Espere aparições de Mickey, Dumbo, Piu-Piu, Pernalonga, entre outros. Uma Cilada para Roger Rabbit foi dirigido por Robert Zemeckis em 1988.

Juliana Maffia

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Projetos do Tim Burton apostam na nostalgia

Acho que essa foto exemplifica quase tudo do que amo nesse diretor! Faltou o Cavaleiro Sem Cabeça 😀

Checando a lista de filmes de Tim Burton cheguei a conclusão que o diretor encontrou a segunda parte da sua formula mágica para o sucesso. A primeira sendo, aquele estilo gótico particular dele. E a segunda? A segunda é apostar na nostalgia do seu público. Por que? Porque atualmente ele anda fazendo releituras, remakes e, querendo ou não, o povo gosta. Falo isso porque entre a lista de futuros filmes está a Família Addams e Dark Shadows. Dark Shadows foi uma novela americana, com tema sobrenatural, criada nos anos 60. E Família Addams com certeza não precisa de apresentações certo? Além disso vale lembrar sua versão de Alice, que não foi tão bem aceita pelo público (eu não vi, nem quero ver, portanto nem vou comentar o assunto).

De qualquer forma pra mim tá na hora de Burton deixar hollywood um pouco de lado e tentar voltar as suas raízes. Ok seu estilo foi repetido até exaustão, mas eu sinto falta daquele Tim Burton dos anos 90, meio trash, gótico e sem medo de horrorizar o público. Tenho fé que ele ainda nos entrega outro Beetle Juice, ou Edward, ou mesmo Big Fish (que não é dos meus favoritos, mas é genial mesmo assim).

Ai depois de terminar os últimos dois parágrafos eu dou uma relida na lista de filmes deles, e ok ele nem fez tantos filmes ruins. Depois da Fabrica de Chocolate ele fez Noiva Cadaver, Alice e Sweeney Todd, que eu amo demais apesar da tosqueira generalizada. Mas mesmo assim ele já não é mais o mesmo faz algum tempo. Acho que os filmes atuais dele estão “lapidados” demais, antes ele tinha um tom meio grosseiro, que é muito mais divertido de se ver. Enfim esse é um apelo de uma pobre fã à um grande diretor. Volta Tim, vooolta!

Juliana Maffia

Etiquetado , , , , , ,

Fuck the Oscars!

Vim me explicar, por que o pessoal me olha esquisito quando falo que não ligo muito pra Oscar. A questão é, não assisto filmes só por que eles foram indicados e então acaba que eu estou torcendo pra um ou outro que nunca ganham. É frustração demais pra uma só pessoa sabe?

Além disso acho meio ridículo o quanto eles se levam a sério na boa o que significa ganhar um Oscar? Uns velhotes gostaram do seu filme, congrats… Brincadeira gente eu entendo que é uma honra bla bla bla e que os filmes concorrendo são realmente muito bem executados. Me divirto muito mais assistindo a tosqueira do MTV Movie Awards, que também se levam a sério mas é tanta bobagem que não tem como não rir.

A premiação no Kodak Theater é linda, não tem como negar, mas foram tantos prêmios dados a filmes que simplesmente não mereciam que eu desisti sabe. Precisava o Titanic ganhar tanto Oscar, por exemplo? E o Avatar? Com o script mas idiota e vazio do século! Esse ano os indicados são todos bacanas, de uma forma ou outra todos são merecedores, mas isso raramente acontece e eu não sou nem um pouco sado masoquista pra ficar torcendo pra um ou outro…

Enfim foi só um desabafo. Não acho a premiação ruim sabe, só não assisto mesmo. E vocês gostam de assistir ao prêmio?  Concordam com as escolhas da academia?

Juliana Maffia

 

Etiquetado ,

Top 5: Filmes Natalinos

Ok chegou a época do velho Noel, com seu calor infernal (afinal vivemos no Brasil) e seus shoppings lotados. E algo que marca todos os meus Natais é a maratona natalina na tv a cabo com filmes natalinos de infância, todos bem hollywoodianos, é claro. Então resolvi fazer a lista dos filmes que quero ver na casa da vovó nesse Natal, é uma lista completamente inútil afinal tenho certeza que assistirei todos eles dia 24 e 25.

Antes de vocês continuarem eu gostaria de lembrar que para fazer parte desta lista não avaliei a qualidade dos filmes, nem o quanto gosto deles (apesar de gostar muito de alguns), só resolvi listar os filmes que mais me marcaram. Se alguém tiver outro filme natalino marcante comentem please =)

1. O Estranho Mundo de Jack: O filme é um dos meus favoritos por que, além de ser feito em stop motion, junta as duas melhores datas comemorativas do ano, O Natal e o Dia das Bruxas! Sério a idéia é bem simples mas absolutamente fantástica. Jack Skellington está cansado da mesmice do seu dia a dia e resolve então mudar de ares, de festas, resolver tomar o lugar do Papai Noel.

Nessa história o esqueleto com cara feia não é uma pessoa ruim, apenas alguém com perspectiva diferente. Jack não consegue entender por que os humanos não se interessam pelos mesmos brinquedos que os monstros. Claro que tudo dá errado e o Papai Noel acaba sendo torturado pelo Boogie Man (Homem do Saco?). Mas as músicas são todas lindas e ver Halloweentown toma trabalhada no Natal é fantástico.

Curiosidade: esse filme foi idealizado e escrito por Tim Burton mas seu diretor é Henry Sellick, o mesmo diretor de Coraline.

 

2. Esqueceram de Mim 2: Não existe filme que mais dispense apresentações! Essa é com certeza uma das melhores sequências da história de hollywood. Macaulay Culkin interpreta Kevin novamente mas dessa vez ao invéz de esquecerem o pobre garoto em casa, o esquecem no aeroporto. Pra mim, especialmente quando era criança, essa idéia era muito mais assustadora. Imaginem se perderem dos país em uma cidade que você pouco conhece?

Enfim o que faz desse filme um dos melhores? Bom os dois vilões voltam e Kevin consegue ganhar deles mesmo longe do conforto do seu lar. Mas além disso ele recebe ajuda de dois velhinhos bondosos ( sacou? hehehe), ajuda muito bem vinda diga-se de passagem. Agora a razão matadora que faz desse filme melhor do que o primeiro, ele se passa em Nova York. Sem Mais.

Curiosidade: Chris Columbus, diretor do filme, também dirigiu os dois primeiros Harry Potter’s.

3. O Conto de Natal dos Muppets: Um filme pouco conhecido, ou melhor menos conhecido. Mas não menos fantástico. Os Muppets reinterpretam o clássico de Charles Dickens, Canção de Natal (A Christmas Carol), tendo como ator principal ninguém menos que Michael Caine, no papel de Ebenezer Scrooge, o mau humorado ricaço que é visita dos por três fantasmas na noite de natal.

Claro que os Muppets favoritos não podiam faltar na história. Rizzo e Gonzo são os narradores da história, enquanto Caco é Bob Crachit, o pobre trabalhador, casado com a Miss Piggy. Outros Muppets como o Fozzie, o Animal e o Beaker aparecem ao decorrer da história, as vezes em flashbacks, outras no presente.

Curiosidade: Esse foi o primeiro filme feito após a morte de Jim Henson (criador das personagens).

4. Meu Papai é Noel

De todos definitivamente esse é o filme mais tosco hahaha e possivelmente um dos mais amados. O filme começa meio macabro quando o personagem de Tim Allen sem querer mata o Papai Noel e toma seu lugar para entregar o resto dos presentes. Só que Tim Allen acorda no dia seguinte desacreditando na noite que viveu.

Ok eu amo esse filme porque tem o Tim Allen, e ele vira o Papai Noel. E só. Bom além disso tem muitas renas de personalidade forte, gosto disso também.

Curiosidade: O elfo principal também fez 10 coisas que eu odeio em você, alguns anos depois.

5. Simplesmente Amor

Uma das melhores comédias românticas feitas até hoje, possivelmente por que tem aquele humor inglês bastante peculiar que eu adoro. O que eu amo desse filme? As diversas histórias que se entrelaçam, feita na época em que esse modelo não era manjado. O que mais eu amo? O fato dos meus dois atores ingleses favoritos estarem no filme, e fazendo um casal, a história interpretada pro Alan Rickman e Emma Thompson é uma das que mais me emociona. Agora e o Hugh Grant gente? Ficou ótimo no papel de primeiro ministro, dançando loucamente por ai!

Curiosidade: Esse foi um dos primeiros filmes de grande escala de Bill Nighy, e não tinha como ele não chamar atenção, fazendo o cantor has been que manda Christmass is All Around Us logo no inicio do filme.

Quando era pequena todos os anos passava no Cartoon Network um desenho sobre o Rudolf, onde ele lutava contra o preconceito e contra a Rainha do Gelo. Não achei ele na internet (se não tinha entrado para a lista) mas com certeza era um dos meus filmes favoritos hahaha se alguém lembrar o nome desse filme me avisem!

Juliana Maffia

P.S. Até depois do Reveillon people, me dei férias do blog 🙂

Etiquetado , , , , , , , , ,

Stop motion da Família Addams ganha dois roteiristas

Falamos há algum tempo que Tim Burton estava interessado em fazer uma animação em stop motion da Família Addams. Agora já sabemos quem irá escrever esse roteiro! Os mesmo roteiristas de Ed Wood (um filme pouco conhecido mas muito bom), Scott Alexander e Larry Karaszewski irão escrever Família Addams e outra produção de Burton a caminho, Big Eyes.

Juliana Maffia

Etiquetado ,

O Retorno de Woody e Buzz

Todos sabem que sexta-feira (18/06) estreiou Toy Story 3. Woody, Buzz, Andy e o mais importante, o Senhor Cabeça de Batatas voltaram para agraciar nossas vidas com mais uma aparição nas salas de cinema. Derrubando Karate Kid do topo Toy Story 3 está no primeiro lugar do Box Office fazendo $109 milhões já nesse primeiro fim de semana (sim em 3 dias).

A Pixar quando primeiro apostou em humanizar objetos ao nosso redor fez certíssimo e eles provavelmente não sabiam o quanto isso iria dar certo. De seus onze filmes apenas Wall-E e UP (deixando de lado a menininha Boo de Monstros S.A.) contam com forte presença humana, mas vamos combinar que nos dois outros seres roubam a cena. Estou falando, é claro, do próprio robozinho e do cachorro Dug.

Mas parece que a empresa resolveu parar um pouco com novas produções e está apenas incrementando produções que já foram um sucesso. Entre os próximos filmes a serem realizados estão Carros 2 e Monstros S.A. 2.

Juliana Maffia

Etiquetado ,

Primeiro trailer e foto dos Smurfs!

Para quem ainda não sabe ano que vem veremos nossos carinhas azuis favoritos no cinema, e não, com certeza não estou falando dos habitantes de Pandora. O filme dos Smurfs está sendo dirigido por Raja Gosnell, velho conhecido meu dos tempos que esperava ansiosa pela estréia de Scooby Doo, os Smurfs serão os únicos personagens em CGI. Gosnell dirigiu os dois filmes do Scooby Doo, que podem não ser obras de arte, mas contam a história do cachorro medroso muito bem (ok admito eu adoro). Portanto com certeza vamos matar saudades dos Smurfs com esse longa. Pelo que tudo indica os Smurfs vão se perder em Nova York e a história vai se desenrolar a partir daí.  Achei a história fraca e muito manjada, mas ok o enredo do Scooby Doo também era e eu adorei. Dentre os famosos no elenco estão: Hank Azaria (Simpsons), Katy Perry (por falta de filmes – I kissed a girl and I liked it) e Neil Patrick Harris (Tal Pai, Tal Filho).

Juliana Maffia

Etiquetado , , ,

Psicose faz 50 anos!

No dia 16 de junho de 1960, Alfred Hitchcock lançou no cinema Psicose, o filme de terror que mudaria a história do cinema. Psicose é para Hitchcock o que O Iluminado é para Kubrick, não seu melhor filme mas com certeza um de seus mais famosos. Lembro claramente de assistir o filme de madrugada, escondida da minha mãe, e descobrir horrorizada que a senhora Bates não era bem a sra. Bates! Mas no fundo, torcia contra Marion Crane (Janet Leigh) a moçinha a que rouba dinheiro e vai parar no Bates Motel. O personagem principal, Norman Bates (Anthony Perkins), tinha um quê carismático mesmo sendo um psicopata que usava as roupas velha da mamãe.

Encontrei um trailer de 1960 do filme, diferente dos trailers atuais, ele mostra o diretor nos levando pelos corredores da casa no topo da colina, mostra os quartos onde o filme se passa. Hitchcock entrega quase toda a história mas sem falar nada de relevante. Agora fica uma idéia para o fim de semana, passem na locadora, aluguem Psicose e festejem os 50 aninhos desse clássico do terror.


Juliana Maffia

Sex And The City 2… 3… Or 4 on the floor!

Muito provavelmente os fãs incondicionais de SATC, como eu, esperavam muito mais dessa continuação onde o feminismo deu espaço para a fragilidade feminina exacerbada. Os namorados que se preparem, porque o longa, é longo mesmo! Tem exatamente 2h30 de puro girls and gay talk, e ao contrário do primeiro filme, nem tudo se aproveita.

Infelizmente Carrie (Sarah Jéssica Parker) já fez todas as reflexões possíveis sobre o amor; e agora, junto com suas amigas, já coroas e muito bem sucedidas, vivenciam as desventuras do “Será que valeu a pena?”.

O roteiro é fraco e explora o potencial esgotado das protagonistas que lutam contra o envelhecimento, tédio e menopausa. Lembrou-me um livro infantil de Pedro Bandeira, onde mostra o que acontece com as princesas dos contos de fadas após o “Viveram felizes para sempre”. Chapeuzinho Vermelho ficou pra titia, Branca de Neve leva uma vida doméstica exaustiva, A Bela Adormecida perdeu a vontade de ficar acordada e a Bela já não se sente tão bela assim… Qualquer semelhança com Carrie Bradshaw, Miranda Hobbes, Chartlotte York e Samantha Jones não é coincidência!

O filme narra o desfecho das histórias das personagens vencidas pelo amor de forma cômica e muito dramática, onde cada pequeno problema toma uma proporção enorme. As seqüências são divertidas e satisfatórias porque, assim como o seriado, são repletas de labels and love. E isso basta para os fãs!

Dessa vez as ‘garotas’ vão para Abu Dhabi redescobrindo-se em um ambiente completamente novo, recordando o passado, renovando seus votos de amizade e retornando pra casa com a falsa idéia de que são verdadeiramente felizes.

Agora é só aguardar a contabilidade dos lucros de bilheteria para saber se haverá continuações. Afinal enquanto existir botox, música POP e muito fashionismo o show vai continuar cada vez mais longe de casa (NY) e da realidade.

Rafael Linhares

(Primeiro post de um colaborador do A Moviola, hope you enjoyed – JM)

Etiquetado , ,