Projetos do Tim Burton apostam na nostalgia

Acho que essa foto exemplifica quase tudo do que amo nesse diretor! Faltou o Cavaleiro Sem Cabeça 😀

Checando a lista de filmes de Tim Burton cheguei a conclusão que o diretor encontrou a segunda parte da sua formula mágica para o sucesso. A primeira sendo, aquele estilo gótico particular dele. E a segunda? A segunda é apostar na nostalgia do seu público. Por que? Porque atualmente ele anda fazendo releituras, remakes e, querendo ou não, o povo gosta. Falo isso porque entre a lista de futuros filmes está a Família Addams e Dark Shadows. Dark Shadows foi uma novela americana, com tema sobrenatural, criada nos anos 60. E Família Addams com certeza não precisa de apresentações certo? Além disso vale lembrar sua versão de Alice, que não foi tão bem aceita pelo público (eu não vi, nem quero ver, portanto nem vou comentar o assunto).

De qualquer forma pra mim tá na hora de Burton deixar hollywood um pouco de lado e tentar voltar as suas raízes. Ok seu estilo foi repetido até exaustão, mas eu sinto falta daquele Tim Burton dos anos 90, meio trash, gótico e sem medo de horrorizar o público. Tenho fé que ele ainda nos entrega outro Beetle Juice, ou Edward, ou mesmo Big Fish (que não é dos meus favoritos, mas é genial mesmo assim).

Ai depois de terminar os últimos dois parágrafos eu dou uma relida na lista de filmes deles, e ok ele nem fez tantos filmes ruins. Depois da Fabrica de Chocolate ele fez Noiva Cadaver, Alice e Sweeney Todd, que eu amo demais apesar da tosqueira generalizada. Mas mesmo assim ele já não é mais o mesmo faz algum tempo. Acho que os filmes atuais dele estão “lapidados” demais, antes ele tinha um tom meio grosseiro, que é muito mais divertido de se ver. Enfim esse é um apelo de uma pobre fã à um grande diretor. Volta Tim, vooolta!

Juliana Maffia

Anúncios
Etiquetado , , , , , ,

Fuck the Oscars!

Vim me explicar, por que o pessoal me olha esquisito quando falo que não ligo muito pra Oscar. A questão é, não assisto filmes só por que eles foram indicados e então acaba que eu estou torcendo pra um ou outro que nunca ganham. É frustração demais pra uma só pessoa sabe?

Além disso acho meio ridículo o quanto eles se levam a sério na boa o que significa ganhar um Oscar? Uns velhotes gostaram do seu filme, congrats… Brincadeira gente eu entendo que é uma honra bla bla bla e que os filmes concorrendo são realmente muito bem executados. Me divirto muito mais assistindo a tosqueira do MTV Movie Awards, que também se levam a sério mas é tanta bobagem que não tem como não rir.

A premiação no Kodak Theater é linda, não tem como negar, mas foram tantos prêmios dados a filmes que simplesmente não mereciam que eu desisti sabe. Precisava o Titanic ganhar tanto Oscar, por exemplo? E o Avatar? Com o script mas idiota e vazio do século! Esse ano os indicados são todos bacanas, de uma forma ou outra todos são merecedores, mas isso raramente acontece e eu não sou nem um pouco sado masoquista pra ficar torcendo pra um ou outro…

Enfim foi só um desabafo. Não acho a premiação ruim sabe, só não assisto mesmo. E vocês gostam de assistir ao prêmio?  Concordam com as escolhas da academia?

Juliana Maffia

 

Etiquetado ,

Nova animação de Saldanha se passa no Rio

Assisti outro dia os primeiros dois minutos da animação Rio, e me apaixonei. Rio vai contar a história de uma arara azul macho que foi criada nos Estados Unidos ( o.O??) e que não sabe voar. Como ele (aliás ele chama Blu, Saldanha sua criatividade a gente vê por aqui!) vai parar no Rio eu não sei, mas sei que encontra amiguinhos que irão ajuda-lo a aprender a voar. O filme está sendo dirigido por Carlos Saldanha, aquele moço que inventou o Scrat sabe? Gostando ou não das inúmeros filmes de Era do Gelo, vamos combinae que o Saldanha entende de animação, né! Além disso são inúmeras as estrelas hollywoodianas pop que estão no elenco como Jesse Eisenberg, Anne Hathaway, Jamie Foxx e Rodrigo Santoro.

Prova de que o nosso país está cada vez mais em evidência mundo a fora? O fato de uma animação de grande porte se passar aqui, e pelo menos dessa vez o filme não fala sobre turistas americanos que podem ter seus orgãos vendidos no mercado negro! hahahahaha Enfim com certeza o filme vai ser bem feito e com uma história, se não criativa, bem amarrada. E além disso, nada melhor do que ter um brasileiro encarregado de mostrar a nossa cidade mais famosa né.

O que as pessoas andam comentado que me deixaram inquieta? Aah mas como pode os gringos virem aqui fazer um filme sobre a nossa cidade! Gente vale lembrar que a maioria dos grandes clássicos da Disney (Bela e a Fera, Aladin, Rei Leão…) não se passam nos EUA e eu nunca vi ninguém reclamar da Bela não ser uma francesa convincente, ou dos cliches apresentados no Aladin. Pelo menos no quesito técnico esse filme tem tudo pra dar certo. A gente vai ter que sofrer com o sotaque chicano e os cliches pesadérrimos? Sim. Vai valer a pena? Não sei, mas os trailers me fazem acreditar que sim, e muito!

Vamos dar uma chance ao Saldenha? Ele até teve a coragem de gravar um samba em inglês pro trailer e olha que não ficou ruim hein… Esse vídeo mostra dois minutos de filmes e a arara azul pequena (coisa mais linda da vida *__*).

 

P.S. Rio estréia em Abril.

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Cisne Negro – Uma jornada à transcendência

Darren Aronofsky sempre foi um diretor que gosta das coisas viscerais. Desde seu primeiro longa-metragem, o impressionante Pi (1998), há um flerte entre uma abordagem realista e intimista sobre os personagens e o surrealismo de seus pensamentos. Tudo para criar algo que reflita exatamente o teor emocional daquelas vidas ali retratadas. Em Cisne Negro não é diferente.

O que é diferente é que o filme tem Natalie Portman no papel principal de Nina, uma bailarina perfeccionista que busca uma oportunidade de mostrar todo seu empenho. Até que é escolhida pelo diretor da companhia (o ótimo Vincent Cassel) para interpretar os dois papéis principais de O Lago dos Cisnes: o Cisne Branco, bom, puro e perfeito, e o Cisne Negro, mal, sedutor e visceral. Sim, VISCERAL. Não poderia ser melhor para um filme de Aronofsky.

O fato é que chega uma nova bailarina, Lily, que pende para “o lado negro da força” (ou Cisne Negro, como preferir) e dá um empurrãozinho na longa jornada de Nina à composição do seu personagem mal. Aliás, uma jornada que passa pelas emoções que criam coisas palpáveis e reais diante de nossa bailarina. É a partir daí que Aronofsky acha sua licença poética para construir suas cenas mais “pesadas” e surrealistas. O outro grande lance de Cisne Negro é que o diretor se aventura pelo suspense e pelo terror psicológico, tudo para sintetizar o que Nina está sentindo à medida que “se deixa levar”, como diz o diretor da companhia de balé.

Como é comum, Aronofsky consegue extrair de seus atores interpretações memoráveis. Mila Kunis prova aqui que não é apenas um rostinho bonito MESMO e empresta toda sua espontaneidade à sua personagem numa performance já premiada. Barbara Hershey, como a mãe controladora de Nina, dá mais medo do que algumas das cenas mais fortes, tamanho é seu controle sobre a filha. Winona Ryder, em sua pequena aparição, também é marcante…

E aí tem a Natalie.

Só pela versão Cisne Branco a atriz já é digna de aplausos (de pé). Sua delicadeza e esforço, não só físico (porque sua preparação foi digna de uma verdadeira bailarina) mas emocional são no mínimo impressionantes. Todas as cenas em que dança, com a câmera a seguindo e dançando junto, sob a paleta de cores sombrias de Matthew Libatique, são lindas e tocantes. Há uma tendência a usar  branco e o preto para simbolizar a dualidade dos cisnes (no começo Nina só veste roupas brancas e, conforme vai mudando, começa a usar cinza, até chegar no preto). A trilha sonora de Clint Mansell emula Tchaikovsky e, como seus trabalhos anteriores, é linda. (E não foi indicada ao Oscar, com a justificativa de que tem muito de Tchaikovsky e menos de Mansell. Aham.)

E finalmente o Cisne Negro. O fim do filme é uma das sequências mais marcantes dos últimos anos. É a prova da transformação final de Nina: é a personificação absoluta. A fisionomia de Natalie Portman nunca foi tão arrebatadora. É como se não fosse aquela moça delicada que todos nós vimos fazendo Amidala em Star Wars. Seu olhar é cortante. Seus movimentos são livres e sedutores. Não tem explicação. E é aí que Cisne Negro chega ao seu ápice para abordar a questão da arte e sua possibilidade de TRANSCENDÊNCIA. Ali não é mais Natalie nem Nina. É a incorporação de uma criação artística. E isso é lindo. LINDO. É tocante a forma como a arte pode levar o artista a patamares nunca antes alcançados. Não deixa de ser um escape; só que é mais que isso. É a síntese do “se deixar levar”. É a síntese de se valorizar com receptáculo de uma nova realidade, uma nova dimensão. Isso é arte. E este filme é um dos exemplares mais brilhantes.

Vitor Gonçalves

Etiquetado , , , , , , , , , , ,

Top 5: Filmes Natalinos

Ok chegou a época do velho Noel, com seu calor infernal (afinal vivemos no Brasil) e seus shoppings lotados. E algo que marca todos os meus Natais é a maratona natalina na tv a cabo com filmes natalinos de infância, todos bem hollywoodianos, é claro. Então resolvi fazer a lista dos filmes que quero ver na casa da vovó nesse Natal, é uma lista completamente inútil afinal tenho certeza que assistirei todos eles dia 24 e 25.

Antes de vocês continuarem eu gostaria de lembrar que para fazer parte desta lista não avaliei a qualidade dos filmes, nem o quanto gosto deles (apesar de gostar muito de alguns), só resolvi listar os filmes que mais me marcaram. Se alguém tiver outro filme natalino marcante comentem please =)

1. O Estranho Mundo de Jack: O filme é um dos meus favoritos por que, além de ser feito em stop motion, junta as duas melhores datas comemorativas do ano, O Natal e o Dia das Bruxas! Sério a idéia é bem simples mas absolutamente fantástica. Jack Skellington está cansado da mesmice do seu dia a dia e resolve então mudar de ares, de festas, resolver tomar o lugar do Papai Noel.

Nessa história o esqueleto com cara feia não é uma pessoa ruim, apenas alguém com perspectiva diferente. Jack não consegue entender por que os humanos não se interessam pelos mesmos brinquedos que os monstros. Claro que tudo dá errado e o Papai Noel acaba sendo torturado pelo Boogie Man (Homem do Saco?). Mas as músicas são todas lindas e ver Halloweentown toma trabalhada no Natal é fantástico.

Curiosidade: esse filme foi idealizado e escrito por Tim Burton mas seu diretor é Henry Sellick, o mesmo diretor de Coraline.

 

2. Esqueceram de Mim 2: Não existe filme que mais dispense apresentações! Essa é com certeza uma das melhores sequências da história de hollywood. Macaulay Culkin interpreta Kevin novamente mas dessa vez ao invéz de esquecerem o pobre garoto em casa, o esquecem no aeroporto. Pra mim, especialmente quando era criança, essa idéia era muito mais assustadora. Imaginem se perderem dos país em uma cidade que você pouco conhece?

Enfim o que faz desse filme um dos melhores? Bom os dois vilões voltam e Kevin consegue ganhar deles mesmo longe do conforto do seu lar. Mas além disso ele recebe ajuda de dois velhinhos bondosos ( sacou? hehehe), ajuda muito bem vinda diga-se de passagem. Agora a razão matadora que faz desse filme melhor do que o primeiro, ele se passa em Nova York. Sem Mais.

Curiosidade: Chris Columbus, diretor do filme, também dirigiu os dois primeiros Harry Potter’s.

3. O Conto de Natal dos Muppets: Um filme pouco conhecido, ou melhor menos conhecido. Mas não menos fantástico. Os Muppets reinterpretam o clássico de Charles Dickens, Canção de Natal (A Christmas Carol), tendo como ator principal ninguém menos que Michael Caine, no papel de Ebenezer Scrooge, o mau humorado ricaço que é visita dos por três fantasmas na noite de natal.

Claro que os Muppets favoritos não podiam faltar na história. Rizzo e Gonzo são os narradores da história, enquanto Caco é Bob Crachit, o pobre trabalhador, casado com a Miss Piggy. Outros Muppets como o Fozzie, o Animal e o Beaker aparecem ao decorrer da história, as vezes em flashbacks, outras no presente.

Curiosidade: Esse foi o primeiro filme feito após a morte de Jim Henson (criador das personagens).

4. Meu Papai é Noel

De todos definitivamente esse é o filme mais tosco hahaha e possivelmente um dos mais amados. O filme começa meio macabro quando o personagem de Tim Allen sem querer mata o Papai Noel e toma seu lugar para entregar o resto dos presentes. Só que Tim Allen acorda no dia seguinte desacreditando na noite que viveu.

Ok eu amo esse filme porque tem o Tim Allen, e ele vira o Papai Noel. E só. Bom além disso tem muitas renas de personalidade forte, gosto disso também.

Curiosidade: O elfo principal também fez 10 coisas que eu odeio em você, alguns anos depois.

5. Simplesmente Amor

Uma das melhores comédias românticas feitas até hoje, possivelmente por que tem aquele humor inglês bastante peculiar que eu adoro. O que eu amo desse filme? As diversas histórias que se entrelaçam, feita na época em que esse modelo não era manjado. O que mais eu amo? O fato dos meus dois atores ingleses favoritos estarem no filme, e fazendo um casal, a história interpretada pro Alan Rickman e Emma Thompson é uma das que mais me emociona. Agora e o Hugh Grant gente? Ficou ótimo no papel de primeiro ministro, dançando loucamente por ai!

Curiosidade: Esse foi um dos primeiros filmes de grande escala de Bill Nighy, e não tinha como ele não chamar atenção, fazendo o cantor has been que manda Christmass is All Around Us logo no inicio do filme.

Quando era pequena todos os anos passava no Cartoon Network um desenho sobre o Rudolf, onde ele lutava contra o preconceito e contra a Rainha do Gelo. Não achei ele na internet (se não tinha entrado para a lista) mas com certeza era um dos meus filmes favoritos hahaha se alguém lembrar o nome desse filme me avisem!

Juliana Maffia

P.S. Até depois do Reveillon people, me dei férias do blog 🙂

Etiquetado , , , , , , , , ,

Quatro razões para você ir assistir Tron!

Hoje (17/12) estréia nos cinemas brasileiros, Tron o Legado, a sequência de Tron (1982). Ok grande novidade, as propagandas do filme estão dominando a televisão e redes sociais. Mas além do fator blockbuster da Disney, por que você deveria assistir Tron?

1. Porque Tron é o filme favorito do Chuck!

Sr. Bartowski e Chuck - olha que coisa mais fofa!

HAHAHAHA Desculpa, mas é a realidade. O Chuck  tem até um pôster do Tron pendurado no quarto, usado para esconder suas pesquisas (não entrarei em detalhes :P). E aposto que muita gente conheceu o filme por causa desse seriado. Acho muito digno da parte deles homenagear o Tron assim.

2. Porque a trilha sonora é do Daft Punk!

Amo tudo o que a dupla francesa faz e essa trilha não foi diferente. Escutem Derezzed que foi a primeira música lançada. Apesar da música ser a cara da dupla ela tem o clima certo para o mundo virtual de Tron.

3. Por que o original foi fodástico!

Tron foi o primeiro filme a usar CGI e apesar dos efeitos parecerem toscos, imagina o que foi assistir isso nos cinemas em 1982. A história também era completamente original para a época. Os video games estavam no começo e um homem ser sugado por uma daquelas máquinas não era algo manjado.

4. Vocês assistiram o trailer?

Pra mim a coisa mais incrível do trailer foi ver uma versão em cgi do Jeff Bridges NOVINHO! Pra quem não percebeu o vilão do filme é o pai do moço principal, só que numa versão jovem. Jeff Bridges também aparece no trailer, com uma cara de velho sábio digna de Dumbledore.

Se essas não são boas razões pra vc, sem problemas. Mas eu vou correr pro cinema assim mesmo.

Ju Maffia

Primeiro poster do Thor

Thor é dirigido por Kenneth Branagh (o Professor Lockhart de Harry Potter hehehe mais conhecido pela interpretação de Hamlet) e estrelado por Chris Hemsworth, sinceramente nunca ouvi falar no esbelto rapaz…

Sempre achei Thor um personagem engraçado, nunca o levei a serio, até ler 1602, graphic novel do Neil Gaiman. Gente pensem, ele éum deus nórdico que carrega um martelo? Mas vamos combinar que esse poster impõe respeito hein!

O filma estréia nos EUA no dia 6 de maio.

Etiquetado , ,

Os 10 melhores filmes de terror para crianças

Hoje mando uma dica de uma listinha feita pela Empire. O site juntou os dez filmes de terror voltados para crianças, a lista une os meus filmes favoritos de infância e alguns favoritos pós-infância também. Entre os escolhidos está Ghostbusters, Gremlins, Coraline e Convenção das Bruxas. Alguns filmes da lista não assustam tanto, como Chitty Chitty Bang Bang, mas em compensação outros são aterrorizantes demais para crianças, como A Casa Monstro. Sempre achei que esse filmes do Spielberg fosse sério demais para qualquer criança, até eu fiquei assustada quando fui ao cinema.

Para quem quiser conferir o link: http://bit.ly/9ieay9

Juliana Maffia

Finalmente revelada a identidade do Professor Moriarty

Eu esperava ansiosamente por esse momento, formulava teorias, fiquei nervosa quando rumores envolvendo o Brad Pitt começaram a circular (sim ele é O Brad, mas como Professor Moriarty?). Bom agora sabemos quem será fará o arque-enimigo do Sherlock Holmes, e eu nunca ouvi falar no ator…

O nome de Jared Harris foi anunciado hoje, segundo a Latino Review. Eu espero esse nome desde a última cena do primeiro filme, acho irônico que quando o nome é revelado minha única reação é, Jared Who? O ator também faz um executivo na supostamente fabulosa série Mad Men. Digo supostamente por que nunca assisti. Qual o ponto positivo? Ele é filho de Richard Harris (o primeiro Dumbledore), portanto se atuar estiver no sangue ele fará um vilão fantástico.

Aproveitando o post sobre o Sherlock Holmes, Stephen Fry também terá um papel no final do detetive. Fry pra quem não sabe é um ator inglês in-crí-vel que fez filmes como Wilde e V de Vingança. O ator ingles fará Mycroft Holmes, irmão de Sherlock Holmes. Nos livros Mycroft é um detetive infinitamente melhor do que seu irmão mas apesar disso não gosta muito da ação que o trabalho envolve. Mas vale lembrar que o primeiro filme foge dos livros então não sabemos a importância de Fry na sequência ainda.

Juliana Maffia

Fotos tiradas do FirstShowing.net

Será que Tron fará sucesso dessa vez?

A empresa do ratinho está produzindo Tron Legacy e o marketing por trás do filme, que irá estreiar em dezembro, tem sido grande, semanalmente surgem mais posters e fotos do longa (inclusive essa ai em cima é uma delas). O filme é a sequência de Tron (1982). No primeiro filme o jovem Kevin Flynn (Jeff Bridges – Homem de Ferro e Tá Dando Onda) é preso em um mundo de virtual de lutas no melhor estilo gladiador. Agora seu filho Sam (Garrett Hedlund – Eragon e Tróia) vai em busca de seu pai desaparecido e acaba preso no mesmo universo.

O filme não foi muito popular mesmo na sua primeira versão em 92, mas a falta de sucesso não reflete a qualidade do filme, que é muito divertido e (para a época) tinha avanços tecnológicos incríveis. Além do mais em 1982 esse tema ainda tinha sido pouco desenvolvido tornando a história de Tron bastante inovadora. Joseph Josinski, diretor de primeira viagem, está encarregado de dirigir Tron Legacy. O filme também conta com Michael Sheen (Underworld e Frost/Nixon) e Olivia Wilde (House e The O.C.) no elenco.

Abaixo um vídeo (bem tosco) com algumas cenas de Tron, a qualidade é péssima mas as cenas são bem legais.

Juliana Maffia

Etiquetado , ,